Tenistas em fúria: Conheça alguns casos de desclassificação no tênis

Curiosidades Jun 26, 2017

O tênis é conhecido por ser um esporte de cavalheiros e damas, que preza pela esportividade, bons costumes e cordialidade entre seus participantes. Com o passar dos anos e a profissionalização do esporte, a chamada Era Aberta, o tênis se viu imerso a um novo mundo, de estilos e personalidades.

Pelos idos dos anos 80, com a chegada de tenistas menos ortodoxos e temperamentais como o norte-americano John McEnroe, surgiu um novo estilo de jogador, os chamados bad boys.

Reconhecido como um dos tenistas mais temperamentais da história, McEnroe tinha o hábito de xingar os juízes, atirar raquetes longe (quando não as quebrava) e reclamar acintosamente de lances em que julgava errada uma decisão do árbitro.

Somente em janeiro de 1990 recebeu uma punição dura. Na disputa das oitavas-de-final do Aberto da Austrália, as broncas de McEnroe encontraram um juiz menos condescendente. Gerry Armstrong mostrou cartão vermelho para McEnroe, que foi expulso do torneio, arrumou as malas e voltou para casa.

O mais engraçado disso tudo é que americano vencia o sueco Mikael Pernfors por 6-1, 4-6, 7-5, 2-4. Posteriormente, o campeão de oito Grand Slams afirmou que não sabia da mudança na regra: seriam necessárias apenas três advertências para a desclassificação a partir de 1990 e não mais quatro.

Esses destemperos podem custar caro aos tenistas. Atos de fúria ou indisciplina são advertidos com os chamados warnings, que são avisos do árbitro de cadeira sobre a má conduta do tenista, e a reincidência pode custar até a perda de pontos.

Os casos mais graves, quando há múltiplas advertências ou agressão deliberada, tanto ao juiz de cadeira quanto aos de linha e também aos pegadores de bola são punidas com a desclassificação não só da partida, mas do torneio. Veja alguns casos curiosos e emblemáticos.

Punido em casa

O britânico Tim Henman, um dos maiores nomes do tênis da terra da Rainha, se tornou o primeiro jogador na Era Aberta a ser desclassificado do torneio de Wimbledon após atingir uma bola na cabeça de uma pegadora de bola.

A menina Caroline Hall chegou a cair no chão de dor. Após o incidente o juiz e o supervisor desclassificaram o tenista da casa. No dia seguinte, o ainda jovem Tim Henman, 21, se desculpou pelo episódio e ofereceu um buquê de flores a menina pelo incidente.

Essa acertou em cheio!

Aos 17 anos, o canadense Denis Shapovalov estreou na Copa Davis com um episódio polêmico no jogo decisivo contra a Grã Bretanha. Frustrado após perder um ponto, o ex-número 2 do ranking juvenil tentou isolar uma bolinha, mas acertou em cheio o rosto do juiz francês Arnaud Gabas quando o placar marcava 6/3 6/4 *2/1 para o britânico Kylie Edmund. Fim de jogo e confronto.

Passou perto...

O atual líder do ranking, Andy Murray, quase passou pela inusitada situação de desclassificação. Na disputa do Master de Cincinati após fazer uma dupla falta o escocês chutou a bola em direção ao árbitro de cadeira que ao perceber que a bolinha vinha em sua direção conseguiu desviar a tempo. Sorte de Murray.

Os esquentadinhos

Outros exemplos de tenistas “esquentadinhos” são os casos do russo Marat Safin, que ao longo de sua carreira quebrou um número incontável de raquetes, e o italiano Fabio Fognini, o talentoso tenista italiano que tem fama de perder completamente a cabeça durante alguns jogos como pode se ver no vídeo.

Caso de "agressão"

Em 2012, na final do torneio de Queen's, o argentino David Nalbandian jogava contra o croata Marin Cilic. A desclassificação acontece quando Nalbandian vencia o jogo por 1 set a 0, e estava sacando em 15-40 no 3 a 3 do segundo set.

Ele tem o saque quebrado e , em um ato de fúria, o argentino chuta uma placa do patrocinador. Porém, essa placa estava à frente do juiz de linha (na altura do tornozelo). O resultado, você vê no vídeo.

Claramente Nalbandian não quis machucar o juiz de linha, ele simplesmente chutou uma placa. Contudo, isso não apaga o fato de que o juiz se machucou - e não foi pouco, dada sua reação.

E você? Já teve alguma atitude dessas em quadra? Conta para a gente nos comentários.

Tags

Nill Cavalcante

Relações públicas e especialista em mídias sociais e corresponsável pelo blog da Lptennis. Seu sonho é parar de perder pontos por foot fault e sair da quadra com a mesma calma que entrou

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.