Roland Garros - Guia dos curiosos

Um dos torneios mais charmosos do circuito do tênis mundial, principalmente por ser realizado na bela e acolhedora cidade de Paris, Roland Garros traz em sua história curiosidades interessantes aos amantes do tênis.

Aviador, não tenista

Roland Garros nunca pisou em uma quadra de tênis, mas foi um dos pioneiros da aviação mundial. Nascido em Outubro de 1888, iniciou sua carreira de piloto em 1909, a bordo de um Demoiselle, avião que só voava bem se o piloto fosse pequeno e leve.

Em 1911, Roland Garros se tornou qualificado para pilotar monoplanos Blériot e disputou na Europa uma série de corridas aéreas neste tipo de aeronave. Ficou famoso por ter efetuado, em 23 de setembro de 1913, a primeira travessia aérea sem escalas do Mediterrâneo em 7h53m, apesar de um motor ter avariado sobre a Córsega.

Não satisfeito, continuou fazendo história – com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, ajudou a França criando um novo aparato (um sistema de metralhadoras) que revolucionou a maneira que os franceses realizavam ataques aéreos. Roland Garros foi morto ainda durante a guerra, em um ataque no norte da França, em 5 de outubro de 1918.

A força da rivalidade

No ano de 1928, a França receberia a equipe dos Estados Unidos na cidade de Paris, para uma revanche da Copa Davis, disputada um ano antes nos Estados Unidos com vitória Francesa dos “quatro mosqueteiros” (Jacques “Toto” Brugon, Jean Borotra, Henri Cochet e René Lacoste). Para esse importante evento, o governo então decidiu que seria construída uma nova quadra, nas proximidades da Federação Francesa de Tênis.

Antes mesmo de iniciar a construção da Arena, já estava decidido que seria nomeada em homenagem póstuma a Garros, exatamente uma década após a sua morte. Sendo assim, e com a final da Davis marcada para julho, a construção do estádio tornou-se prioridade para os parisienses.

A prefeitura da cidade contribuiu com o dinheiro e o Stade Français, clube mais tradicional da França, cedeu um terreno de três hectares para a construção do estádio, que aconteceria na “periferia” da cidade, no bairro de Porte d´Auteuil. E pra completar o bom momento, em julho daquele ano (1928), os franceses derrotaram novamente os norte-americanos, mantendo o título da Copa Davis.

O início "bairrista"

No ano de 1891 foi organizado o primeiro torneio nacional de tênis em Paris conhecido como “Championnat de France”, que permitia a participação somente de jogadores de clubes franceses. O vencedor foi um britânico, H. Briggs, que residia na cidade. O primeiro torneio feminino, com quatro tenistas, aconteceu em 1897 e as duplas mistas foram introduzidas em 1907.

Finalmente no ano de 1925, o torneio foi aberto para participação de tenistas de outros países sendo oficialmente chamado de “Internationaux de France”, porém somente em 1927 houve um campeão de simples de fora da França. A holandesa Kornelia Bouman foi campeã do torneio feminino. No masculino o primeiro a levantar a taça foi o australiano John Crawford, em 1933.

Quadra Philippe Chatrier

A quadra principal passou a ser chamada de Court Philippe Chatrier em 2001, em homenagem ao ex-tenista francês que não alcançou muitas glórias dentro de quadra, mas que presidiu a Federação Francesa de Tênis (FFT) durante 20 anos, entre 1973 e 1993 e faleceu um ano antes da homenagem.

O Estádio foi construído inicialmente com capacidade para 8 mil pessoas e ao lado dele também foram construídas outras nove quadras, duas de piso rápido e sete de saibro. Atualmente a Philippe Chatrier tem capacidade para 15 mil espectadores.

Quadra Suzanne Lenglen

A segunda quadra mais importante de Roland Garros foi construída no ano de 1994 e recebe o nome da tenista Francesa Suzanne Lenglen que teve grande destaque nos anos 20. Suzanne totalizou em sua carreira 16 títulos em Roland Garros e 15 em Wimbledon, entre jogos de simples e duplas.

Suzanne faleceu em 1938, aos 39 anos, vítima de leucemia. A construção da quadra com capacidade para 10.068 pessoas, levou o torneio a alcançar a marca recorde dos 390 mil espectadores em 1999 e a superar a casa dos 400 mil no novo milênio.

Evolução constante

Roland Garros se prepara agora para uma grande reforma, prevista para ser concluída no ano de 2020. Ao anexar parte de um terreno lateral, poderá ampliar o complexo durante as duas semanas de torneio. Entre outras melhorias em todo o complexo, a quadra principal receberá teto retrátil e iluminação, serão construídos novo restaurante e vestiários exclusivo para jogadores e técnicos, além de uma moderna área de fisioterapia.

A área será aumentada em 1700m2 , mas sua capacidade será mantida em 15 mil espectadores. O custo está estimado em 400 milhões de euros.

Folego de leão

Roland Garros, assim como Wimbledon, tem um formato de disputa entre os homens de melhor de cinco sets , sendo que os quatro primeiros sets possuem tiebrake e caso chegue a ao quinto set de desempate, ele é disputado em formato longo, onde o tenista precisa abrir dois games de vantagem do adversário para conquistar o set. O problema aqui é que no saibro a velocidade da bola é mais lenta e existem mais trocas de bola longas, que somadas ao formato da competição, podem realmente castigar o jogadores fisicamente e mentalmente em partidas muito disputadas.

O jogo de maior duração em Roland Garros ocorreu em 2004, quando o francês Fabrice Santoro venceu o compatriota Arnaud Clement em 6h33min, com parciais de 6/4, 6/3, 6/7, 3/6 e 16/14 no set longo.

Os maiores vencedores

Os tenistas que conquistaram o maior número de títulos em chaves de simples em Roland Garros foram Rafael Nadal, no masculino, e Chris Evert, no feminino, espanhol e norte-americana, respectivamente. Nadal faturou nove títulos, sendo cinco deles consecutivos (entre 2010 e 2014). Já Chris Evert venceu o torneio em sete ocasiões.

Brazucas na área

A primeira vez que Guga disputou o torneio foi em 1996. Naquele ano o brasileiro passou pelo qualifying e foi derrotado pelo sul-africano Wayne Ferreira ainda na estreia. Em 1999 quase ocorreu uma semifinal histórica para o Brasil. Na sua melhor participação na competição, Fernando Meligenni fez uma competição fantástica e chegou na semifinal ao eliminar Alex Corretja nas quartas de final. Caso Guga tivesse vencido Andrei Medvedev, teríamos uma semifinal entre dois Brazucas. Infelizmente tanto Guga como o Fininho perderam sua partidas para o Ucraniano.

Guga gravou seu nome na história como campeão de Roland Garros por três vezes: 1997, 2000 e 2001.

Inusitado

Em 1990 o cabeça de chave número 1, Stefan Edberg, e o cabeça de chave número 2, Boris Becker, caíram na primeira rodada e no mesmo dia. Essa situação jamais se repetiu em Roland Garros.

Quali de ouro

Filip Dewulf foi o jogador vindo do quali que chegou mais longe em Rolando Garros. Em 1997 ele alcançou a semifinal e foi derrotado justamente por Guga em 4 sets.

Essas foram algumas curiosidades sobre um dos Grand Slams mais charmosos do circuito do tênis. Caso você saiba mais curiosidades interessantes para compartilhar sobre Roland Garros, manda pra gente!

Bruno Dangelo

Formado em educação física e pós-graduado em marketing esportivo com 10 anos de experiência. Trabalhou na Lptennis e hoje é um grande parceiro. Um dia conseguirá dar um winner em bola sem peso.

São Paulo, Brasil http://lptennis.com/bdangelo

Você conhece a Lptennis.com?


É uma plataforma onde é possível criar e gerenciar rankings, torneios, barragens, aulas, clínicas, metodologia, locações, agenda de quadras e finanças.

Os jogadores interagem com os gestores a partir de uma rede social exclusiva para o tênis e possuem painel de desempenho, H2H e histórico de jogos.

Saiba mais em Lptennis.com




Inscreva-se no Blog da Lptennis.com

Receba nossos artigos e atualizações diretamente no seu e-mail.

ou inscreva-se via RSS com o Feedly!