Você conhece a Lptennis?

Automatize completamente seus rankings, torneios, barragens e faça gestão de aulas, locações, agenda de quadras e financeiro de maneira prática e rápida. Os jogadores tem uma rede social exclusiva do tênis e possuem painel de desempenho, H2H e histórico de jogos.


O guia dos curiosos: US Open

No dia 29 de agosto a bolinha começou a quicar nas chaves principais do US Open, o último Grand Slam do ano. Entrando no clima deste grandioso evento, selecionamos algumas curiosidades envolvendo o passado e presente da competição. Aqui vão elas:

Os prematuros

Pete Sampras é o campeão mais jovem da história do torneio. Em 1990, com apenas 19 anos e 28 dias venceu o Grand Slam enfrentando adversários de altíssimo nível, derrotando em sequência Ivan Lendl, John McEnroe e André Agassi na final. Este encontro com Agassi foi o primeiro em Grand Slams, fomentando o que se tornou uma das maiores rivalidades do tênis mundial.

Já no feminino, Tracy Austin se sagrou campeã em 1979 aos 16 anos e 8 meses. A americana venceu a conterrânea Chris Evert na final por 6/4 6/3, que vinha embalada com uma vitória de 6/1 6/0 sobre a lenda Billie Jean King.

Mais experientes

Ainda antes da era aberta do tênis foi estabelecido o recorde de vencedores com mais idade. No início do século 20, os americanos William Augustus Larned com 38 anos e 8 meses e Molla Bjurstedt Mallory com 42 anos e 5 meses venceram o US Open, que na época era nomeado United States National Championship.

Sem local fixo

Antes de 1915, quando o torneio se estabeleceu no clube West Side Tennis Club, complexo com 38 quadras dos mais variados pisos, ele foi realizado em diversas sedes no estados unidos. Até 1977 o torneio teve apenas uma única edição em outro clube, o Germantown Cricket Club, na Filadélfia.

Mudando para crescer

Em 1978 o torneio mudou de sede pois a capacidade de 15.000 lugares da quadra central, construída em 1923, já não suportava a grandiosidade do torneio e demanda do público. Com isso o torneio passou a ser sediado no USTA National Tennis Center, situado no Distrito de Queens em Nova Iorque, dentro do parque público Flushing Meadows-Corona Park. Iniciou também a disputa em quadras rápidas que utilizam a superfície DecoTurf, características do complexo e uma das mais reconhecidas superfícies de quadra de tênis do mundo (utilizada por exemplo nas últimas duas Olimpíadas: Pequim 2008 e Rio 2016).

Todos os pisos

Até o ano de 1974 o US Open foi disputado em quadras com piso de grama. Entre 1975 e 1977 a competição teve uma breve passagem pelas quadras de Saibro e a partir de 1978 fixou-se a utilização de quadras rápidas.

A era profissional vencida por um "amador"

Em 1968 tivemos a disputa do primeiro US Open da era aberta do tênis, que finalmente permitia a participação de tenistas profissionais, mas o então considerado amador Arthur Ashe, de 25 anos, vencedor da competição, foi impedido de receber o prêmio de US$ 14.000,00 devido a seu status, sendo forçado a aceitar míseros US$ 280,00 no lugar de sua premiação de direito.

Homenagens

O USTA National Tennis Center recebeu como complemento no ano de 2006 o nome de Billie Jean King, em homenagem à ex-tenista Americana nascida em 1943 e ativa entre os anos 50 e 70, sendo considerada uma das maiores tenistas e atletas femininas de todos os tempos, tendo conquistado 12 Grand Slams em simples, 16 Grand Slams em duplas femininas e 11 Grand Slams em duplas mistas na carreira;

O USTA Billie Jean King National Tennis Center conta com 22 quadras, sendo 3 estádios, com destaque para o Arthur Ashe Stadium que é a maior arena de tênis do mundo, com capacidade para 23.771 espectadores, e que recebeu esse nome em homenagem ao Arthur Ashe (mencionado mais acima), por ter sido o primeiro vencedor da história do torneio em era aberta no ano de 1968 e primeiro Afro Americano a vencer um Grand Slam.

Triplice coroa

Apenas 21 jogadores, masculino e feminino, conquistaram a “tríplice coroa” do US Open, isto é, conquistaram simultaneamente os torneios de simples, duplas e duplas mistas. A última a alcançar tal façanha foi Martina Navratilova, em 1987.

Jogando tênis ao luar

Os jogos noturnos tiveram sua estreia em 1975 durante o US Open, e os refletores no West Side Tennis Club iluminaram uma das maiores viradas da história do tênis, quando Manuel Orantes salvou 5 matches points e saiu de 0-5 no quarto set para vencer Guilhermo Villas em (4-6 / 1-6 / 6-2 / 7-5 / 6-4).

Não é fácil para ninguém

A última vez em que os quatro principais cabeças-de-chave chegaram às semifinais do US Open foi em 92, com Jim Courier, Stefan Edberg, Pete Sampras e Michael Chang. O sueco Edberg,detentor de 6 Grand Slams, ganhou de Sampras na final.

Tie-break

O tie-break, foi introduzido no US Open na edição de 1970, ao contrário dos outros 3 Grand Slam (Australian Open, Roland Garros e Wimbledon), o quinto set masculino e terceiro set feminino é disputado no formato de tie-break, desta forma limita os jogos a no máximo 65 games (homens) e 39 games (mulheres) disputados na partida.

O mais longo tie-break disputado em um US Open ocorreu em 1993, entre o croata Goran Ivanisevic e o canadense Daniel Nestor. Ivanisevic levou a melhor por 20 a 18.

Golden Slam

No US Open, Steffi Graf completou o feito inédito e nunca repetido por nenhum outro atleta de ganhar todos os quatro Grand Slams e o ouro olímpico em uma única temporada, conhecido como Golden Slam. Graf alcançou a imortalidade desportiva com um 6/3 3/6 6/1 sobre a Argentina Gabriela Sabatini.

Tentando outros esportes

A exemplo de Michael Jordan, lenda do basquete norte-americano que se aventurou no beisebol, Ellsworth Vines que venceu US Open em 1931 e 1932 passou a disputar torneios de Golf em 1939 tendo como melhor resultado chegando na semifinal do Major dos Estados unidos em 1951.

Chuva não é mais problema

A competição de 2016 está estreando o teto retrátil do Arthur Ashe Stadium, que custou nada menos que US$ 150 milhões, tendo o tamanho de 17 piscinas olímpicas e que pode fechar totalmente em menos de 7 minutos em caso de chuva. Coincidentemente, a chuva chegou rápido e o primeiro uso oficial do teto aconteceu após o sexto game do segundo set do jogo principal no dia 30/08/2016, dando um contexto histórico mais relevante à vitória de Rafael Nadal contra Andreas Seppi, em confronto válido pela 2ª rodada.

Maior premiação da história

Em 2016, o US Open irá distribuir a maior premiação já realizada em um torneio de tênis. Ao todo serão US$ 46,3 milhões, valor que supera em US$ 4,6 milhões a premiação distribuída em Wimbledon 2016.

Essas foram algumas curiosidades sobre um dos maiores eventos esportivo do mundo. Caso você saiba mais curiosidades interessantes para compartilhar sobre o US Open, mande pra gente!

Bruno Dangelo

Formado em educação física e pós-graduado em marketing esportivo com 10 anos de experiência. Trabalhou na Lptennis e hoje é um grande parceiro. Um dia conseguirá dar um winner em bola sem peso.

São Paulo, Brasil http://lptennis.com/bdangelo

Você conhece a Lptennis.com?


Automatize completamente seus rankings, torneios, barragens e faça gestão de aulas, locações, agenda de quadras e financeiro de maneira prática e rápida. Os jogadores tem uma rede social exclusiva do tênis e possuem painel de desempenho, H2H e histórico de jogos.

Saiba mais em Lptennis.com




Inscreva-se no Blog da Lptennis.com

Receba nossos artigos e atualizações diretamente no seu e-mail.

ou inscreva-se via RSS com o Feedly!