O maior estádio de tênis do mundo

Neste post vamos apresentar as particularidades do maior estádio de tênis do mundo, algumas curiosidades, além da trajetória de uma das mais importantes personalidades do tênis que recebeu a honra de ter seu nome eternizado nessa obra prima do esporte mundial. Saiba mais sobre o magnífico “Arthur Ashe Stadium”, vem com a gente!

O maior estádio de tênis do mundo

Estrela do US Open, o Arthur Ashe Stadium foi inaugurado no ano de 1997 e faz parte do complexo USTA National Tennis Center situado no distrito de Queens em Nova Iorque, dentro do parque público Flushing Meadows-Corona Park.

O maior estádio de tênis do mundo foi desenhado com uma estrutura de quatro andares e capacidade para 23.771 espectadores, custando aproximadamente US$ 254 milhões, substituindo o Luis Armstrong Stadium (de 10.200 lugares) como quadra principal do US Open.

Glamour

Oferecendo uma estrutura suntuosa aos jogadores, telespectadores e imprensa, o estádio foi construído com o “glamour” de 90 camarotes de luxo (equipados com televisão de plasma, banheiro privativo e acentos privilegiados no estádio), além de 5 restaurantes e 2 lounges para jogadores, contando também com sistemas de som e vídeo de última linha. Existe uma rádio exclusiva do US Open , a qual os espectadores podem acompanhar com fones de ouvido oferecidos pela organização durante as partidas.

Assentos individuais, banheiros melhorados e a ampliação dos stands dos patrocinadores são outras diferenças em relação ao seu antecessor (Luis Armstrong Stadium), além de oferecer boxes mais próximos da quadra e 30 vezes mais lugares para cadeirantes.

Teto retrátil

Em 2016 o Arthur Ashe Stadium inaugurou seu teto retrátil, num projeto que custou nada menos que US$ 150 milhões, tendo o tamanho de 17 piscinas olímpicas e que pode fechar totalmente em menos de 7 minutos em caso de chuva.

Coincidentemente, a chuva chegou rápido e o primeiro uso oficial do teto aconteceu após o sexto game do segundo set do jogo principal no dia 30/08/2016, dando um contexto histórico mais relevante à vitória de Rafael Nadal contra Andreas Seppi, em confronto válido pela 2ª rodada.

A lenda

O Arthur Ashe Stadium leva o nome de um tenista que não apenas se destacou em quadra, como principalmente lutou ativamente pela melhoria do esporte e por uma sociedade mais justa.

Nascido em Richmond (estado de Virgínia nos Estados Unidos), no ano de 1943, Arthur Roberto Ashe Junior começou a praticar tênis com 7 anos de idade, ensinado pelo pai. Sua vida não foi fácil na Virgínia, vivendo cercado de preconceito por seu tom de pele.

Dentro de quadra, com o advento da era aberta do tênis, em 1968, o primeiro evento que permitiu a participação de amadores e profissionais na mesma competição foi Wimbledom. Naquela época, ainda amador e servindo ao exército, Arthur Ashe fez um excelente torneio e foi derrotado por ninguém menos que Rod Laver nas semifinais. Ao final do ano, já na disputa do US Open, com a queda prematura de Rod Laver na competição, Arthur Ashe chegou ao título contra o tenista Holandês Tom Okker em duros 5 sets, se tornando o primeiro tenista Afro Americano a vencer um Grand Slam, além de se tornar o primeiro vencedor da história do US Open em era aberta! De forma até cômica, devido ao seu status de amador, Arthur Ashe não pode receber o prêmio de US$ 100.000 destinado ao campeão. A única forma de recorrer ao prémio era se profissionalizar, mas ele não poderia até que seus serviços ao exército fossem concluídos. Ele finalmente se profissionalizou aos 25 anos, no ano de 1969.

Sempre muito engajado em melhorar o esporte e a sociedade, lutou contra o racismo instalado em muitos torneios da época e seu envolvimento com o tênis o levou a se tornar, em 1972, um dos membros fundadores da “Associação Profissional de Tênis” (ATP), idealizada na época para defender os direitos e necessidades dos atletas.

Em 1973, a ILTA (International Lawn Tennis Association) – que regulava o tênis mundialmente até então – , impediu o jogador Iuguslavo Niki Pilic, em participar de Wimbledom porque ele havia se recusado a jogar uma partida da Copa Davis. Arthur e outros 80 jogadores acreditaram que a decisão havia sido injusta e decidiram boicotar o torneio de Wimbledom naquele ano. Na concepção da ATP, a ILTA era muito radical e precisava, juntamente com os líderes dos quatros Grand Slams, ter a oposição de uma organização que ouvia a voz dos jogadores. Nem todos jogadores aderiram à ATP inicialmente, mas Arthur Ashe, seguiu firme com suas convicções, sendo inclusive presidente da organização entre 1974 e 1975.

Em 1975, após diversos anos em níveis mais baixos da classificação, Ashe jogou sua melhor temporada ganhando o Torneio de Wimbledon, derrotando inesperadamente Jimmy Connors na final. Ashe obteria finalmente sua melhor posição no ranking mundial, de número 2, no ano seguinte. Jogaria por mais alguns anos, mas após ser prejudicado pela cirurgia do coração em 1979 e se aposentar no ano de 1980. Ashe morreu das complicações resultante de AIDS em 6 de fevereiro de 1993, recebendo uma homenagem póstuma com seu nome gravado no maior estádio de tênis do mundo quando foi inaugurado.

Essas são algumas curiosidades que envolvem o incrível Artur Ashe Stadium. E você? Já participou do US Open e conheceu o estádio? Conte pra gente!

Bruno Dangelo

Formado em educação física e pós-graduado em marketing esportivo com 10 anos de experiência. Trabalhou na Lptennis e hoje é um grande parceiro. Um dia conseguirá dar um winner em bola sem peso.

São Paulo, Brasil http://lptennis.com/bdangelo

Você conhece a Lptennis.com?


É uma plataforma onde é possível criar e gerenciar rankings, torneios, barragens, aulas, clínicas, metodologia, locações, agenda de quadras e finanças.

Os jogadores interagem com os gestores a partir de uma rede social exclusiva para o tênis e possuem painel de desempenho, H2H e histórico de jogos.

Saiba mais em Lptennis.com




Inscreva-se no Blog da Lptennis.com

Receba nossos artigos e atualizações diretamente no seu e-mail.

ou inscreva-se via RSS com o Feedly!